segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Ficar com os avós pode ser pior para os bebês?

Segundo um estudo britânico feito recentemente, sim.

Os avós trazem coisas positivas e negativas, segundo os pesquisadores.

Muitos dos bebês que ficam aos cuidados dos avós enquanto os pais trabalham talvez se saíssem melhor em creches e na escola maternal, afirma um estudo britânico.

Os avós com frequência podem ajudar a desenvolver o vocabulário de um bebê, mas talvez não possam oferecer outras experiências educacionais e sociais que uma criança necessita, dizem pesquisadores do Institute of Education, em Londres.

Eles verificaram que crianças que foram cuidadas pelos avós aos nove meses de idade foram consideradas como tendo mais problemas de comportamento aos três anos do que as que ficaram aos cuidados de uma creche, escolinha, babá ou outro membro da família.
Um artigo sobre o trabalho será publicado na próxima edição da revista científica Journal of Social Policy, da editora Cambridge University Press.
Motivos
A pesquisa envolveu 4.800 crianças britânicas nascidas em 2000 e 2001 que estão sendo monitoradas por um estudo de longo prazo, o Millennium Cohort Study.

Os problemas de comportamento relatados pareceram afetar crianças de todos os níveis sociais.
As pesquisadoras Kirstine Hansen e Denise Hawkes também constataram que crianças de três anos que, aos nove meses de idade, ficaram na escola maternal e em creches, com frequência estavam mais preparadas para a vida escolar do que as que tinham sido cuidadas pelos avós, babás, pessoas da família ou amigos.
Em média, elas conseguiram mais pontos em uma avaliação que mediu sua compreensão de cores, letras, números, tamanhos, comparações e formas.
Entretanto, crianças cujas mães tinham alto nível educacional apresentaram vocabulários maiores se criadas por um dos avós - na maioria dos casos, a avó materna.
O estudo não investigou os motivos pelos quais as crianças deixadas aos cuidados dos avós parecem apresentar mais problemas de comportamento.
Os pesquisadores mencionaram, no entanto, estudos anteriores que concluíram que ambientes pré-escolares como a escola maternal podem ajudar as crianças a desenvolver o traquejo social de que necessitam para se relacionar com os colegas.
"Crianças que são cuidadas pelos avós, por outro lado, passam mais tempo com adultos", disseram.
Ao concluir o estudo, os pesquisadores argumentaram que avós que cuidam dos netos merecem apoio, ao invés de críticas.
Meus filhos sempre ficaram com meus pais, em especial minha mãe, para eu poder sair para trabalhar desde que eles tinham 5 meses de idade, cada um. Sem a ajuda preciosa dela, eu teria gasto uma fortuna em escolinha e eles não teriam sido cuidados com o amor e carinho de uma avó devotada. Se eu não tivesse opção, lógico, os teria deixado na escolinha. Mas, enquanto bebê pequeninos, nada melhor que minha mãe para cuidar deles!
Lógico que deixar os filhos serem cuidados pela avó tem suas desvantagens, já que ela os mima muito, mas quem não gosta de receber um carinho de avó? Que meus filhos aproveitem ao máximo a avó que eu nunca tive e nem pude curtir. Minha avó materna morreu antes de eu nascer e eu sempre morei longe de minha avó paterna, que, além de tudo, nunca foi carinhosa ou amorosa como as avós devem ser. Assim, eu nunca fui mimada por nenhuma avó e acho o máximo que meus filhos possam curtir seus avós, enquanto os têm. Se é pior para eles em termos de comportamento, pode ser, mas em termos de amor, é muito melhor.

4 comentários:

Elaine disse...

Olá!
Até porque eu penso que uma criança "mimada" no bom sentido da palavra se torna um adulto melhor, mais generoso.E desde quando amor complica o amadurecimento?
Como você está, Carla?
Boa semana para você.

Vera Falcão disse...

Oi, Carla, tudo ok?

Tive essa experiência com meus 2 primeiros filhos, quando trabalhava muito e deixava-os uma boa parte do tempo com meus pais. Tínha brigas homéricas com minha mãe, sobre alimentação e outros hábitos (por exemplo, tirava a chupeta da minha filha e colocava-a no lixo, quando chegava para pegá-la, minha mãe tinha comprado outra com pena do choro da menina... rs)
Mas no quesito amor e na questão da confiança, quanto a sentir-me totalmente segura sobre eles na casa dos avós, isto não tem preço... não gosto de creches nem de babás, logo, dos males o menor... viva os avós!

P. S. tenho dois netos que adoro que me visitem mas não abraçaria o cuidado diário deles... hehehehehehe... bem, nunca diga dessa água não beberei.

bjs

Bru disse...

Ai nao por nada, mas quem fez esse estudo ai foram os britanicos q sao bem "friozinhos" nao importa como rsrsrs
nao acho q so pq a crianca passa muito tempo com a avo q vai "estragar" nao. senao ha de pensar q a mae da crianca eh estragada ne? ja q foi criada pela agora avo. rs

eu pretendo voltar a trabalhar e deixar sim com a minha mae q eh a unica pessoa q confio exclusivamente e sei q vai cuidar muitissimo bem do meu lucca.

bjssssss

Bru disse...

oiee tem 2 selinhos la no meu blog pra vc!!

bjsss