quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Semana Mundial dos Animais

A Semana Mundial dos Animais acontece de 4 a 11 de outubro, sendo que no dia 4 de outubro foi comemorado o Dia Mundial dos Animais, data internacional de celebração da vida animal.

Criado em 1931 por um grupo de ecologistas em Florença, na Itália, o Dia Mundial dos Animais inicialmente tinha como objetivo fazer as pessoas refletirem sobre o perigo da extinção das espécies. Desde então o dia passou a abranger todos os animais e a ser comemorado mundialmente, despertando nossa consciência para tratá-los com mais respeito, valorizando seu bem-estar e mantendo-os livres dos maus-tratos e da crueldade.


No dia 4 de novembro, uma audiência pública no Congresso Nacional definirá, em grande parte, o fim ou não do uso de animais em circos no Brasil. Para discutir a questão estarão presentes organizações de proteção animal, por um lado, e donos de circos com animais, por outro.
Atualmente, o PL 7291/2006 está sob análise da Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara dos Deputados, que o votará em breve. O relator do projeto, deputado Antônio Carlos Biffi (PT-MS), já apresentou parecer favorável à proibição, na forma do substitutivo (pág 17 à 20). Entretanto, a pressão dos proprietários de circos pela manutenção da prática é grande e tem influenciado muitos políticos.
Razões para a proibição do uso de animais em circo:
  • Animais em circo sofrem uma vida inteira de maus-tratos. Estes não incluem apenas as formas desumanas de treinamento (em sua maioria com o uso de choques, chicotes ou bastões pontiagudos), mas também os espetáculos em si, onde os animais, por sofrerem agressões para um suposto aprendizado, se comportam como nunca se comportariam na natureza, apenas por um capricho do ser humano. Além disso, passam suas vidas em espaços muito pequenos e em constante transporte, circunstâncias que causam alto grau de estresse aos animais. E, para piorar a situação, muitas vezes não têm à disposição alimento de qualidade ou em quantidade suficiente.

  • Animais em circo expõem as pessoas a muitos riscos. Não é possível prever como um animal estressado irá reagir em uma determinada situação. Além disso, muitas vezes permanecem em instalações inadequadas e frágeis, expondo os funcionários do circo e a população em geral. Vários acidentes já foram documentados inúmeras vezes pela mídia, como o caso do menino de seis anos que, no ano de 2000, em Pernambuco, foi devorado por leões que não comiam há vários dias e estavam em local inseguro.

  • Animais em circo podem transmitir doenças aos seres humanos, visto que não existe vacinação eficiente para os animais selvagens.

  • Animais em circo estimulam o tráfico de animais selvagens ao redor do mundo, prática reconhecidamente cruel e criminosa.

Trajetória do Projeto de Lei


O PL 7291 foi originalmente apresentado pelo Senador Álvaro Dias, tendo sido aprovado no Senado e encaminhado à Câmara dos Deputados.
A ex-Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e representantes do IBAMA já se manifestaram formalmente a favor da proibição da permanência e exibição de animais em circos; e Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) já aprovou o PL com substitutivo por unanimidade.
Uma vez aprovado pela Comissão de Educação e Cultura (CEC), o PL segue para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e depois volta para o Senado, onde haverá a votação final, concluindo o trâmite dentro do Congresso Nacional.
Em seguida, o PL vai para a sua etapa final, que é a apreciação pelo Presidente da República.
Viva o circo sem animal!

Circos sem animais valorizam seus artistas, que sozinhos conseguem maravilhar a sua platéia. Esta é a evolução natural do circo, prestigiando o ser humano. O maior exemplo disso é que diversos países já optaram pela proibição do uso de animais em circos (Áustria, Costa Rica, Dinamarca, Finlândia, Índia, Israel, Cingapura e Suécia), e, no Brasil, a proibição existe em 5 estados e em quase 50 cidades.

Locais onde o uso de animais em circo já é proibido:
Estados: Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul
Em tramitação: Ceará, Santa Catarina

Fonte: WSPA Brasil