segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Benefícios da amamentação prolongada

Por Kelly Bonyata



(Tradução publicada no site Amigas do Parto, original no site KellyMom - Breasfeeding & Parenting)



Amamentar crianças maiores têm benefício nutricional



Pesquisas mostram que o leite materno durante o segundo ano de vida da criança é muito parecido com o leite no primeiro ano (Victora, 1984). No segundo ano de vida, 500ml de leite materno proporciona à criança:
95% do total de vitamina C necessário
45% do total de vitamina A necessária
38% do total de proteína necessária
31% de caloria do total necessária
(UNICEF/Wellstart: Promoting Breastfeeding in Health Facilities: A short course for Administrators andPolicy Makers; WHO/CDR 93.4)
Leite materno permanece sendo um fonte importante de proteina, gordura, cálcio e vitaminas mesmo após os dois anos de vida (Jelliffe and Jelliffe,1978)
Alguns médicos podem pensar que a amamentação vai interferir em relação ao apetite da criança para outros alimentos. Contudo não existem pesquisas indicando que a criança amamentada têm maior tendência a recusar outros alimentos que a criança que já desmamou.
Na verdade, a maioria dos pesquisadores em países subdesenvolvidos, onde o apetite de uma criança desnutrida pode ser de importância vital, recomendam que a amamentação continue para crianças com desnutrição severa (Briend et al, 1988; Rhode, 1988; Shattock and Stephens, 1975; Whitehead, 1985).
Crianças maiores que ainda amamentam adoecem menos
Os fatores de imunidade do leite materno aumentam em concentração, à medida que o bebê cresce e mama menos. Portanto, crianças maiores continuam recebendo os benefícios da imunidade (Goldman et al, 1983).
Um estudo de Bangladesh demonstra, dramaticamente, os efeitos que essa imunidade pode ter. Nessas péssimas condições de vida, descobriu-se que crianças desmamadas entre o 18º e 36º mês de vida dobraram os riscos de morte (Briend et al, 1988). Este efeito foi atribuído especialmente aos fatores de imunidade, apesar de que, provavelmente a nutrição também foi muito importante.
Claro que, em países desenvolvidos o desmame não é uma questão de vida ou morte, mas a amamentação por mais tempo pode significar menos idas ao pediatra. Crianças entre 16 e 30 meses, que ainda são amamentadas, adoecem menos e por menos tempo que as que não são (Gulick, 1986)
Crianças amamentadas têm menos alergias
Está bem documentado que quanto mais tarde se introduz leite de vaca e outros alimentos alergênicos, menos provavelmente essas crianças vão apresentar reações alérgicas (Savilahti, 1987).
Crianças amamentadas são mais espertas
Crianças que foram amamentadas têm melhor performance na escola e maiores notas (Horwood and Fergusson, 1998). Os autores desse estudo, que acompanhou crianças até os 18 anos descobriram que quanto mais tempo as crianças são amamentadas, maiores as notas que recebem nas avaliações.
Crianças amamentadas são mais ajustadas socialmente
Um estudo com bebês amamentados por mais de um ano mostrou uma ligação significante entre a duração do período de amamentação o ajustamento social em crianças de 6 a 8 anos de idade. (Ferguson et al, 1987). Nas palavras dos pesquisadores: "Existem tendências estatísticamente significantes para que a desordem na conduta diminua com o aumento da duração da amamentação". Mamar durante a infância ajuda bebês e crianças a fazer uma transição gradual. Amamentação é um amororso jeito de atender as necessidades dasa crianças e bebês. Ajuda a superar as frustrações, quedas e machucões e o stress diario da infância.
Atender as necessidades de dependência da criança, de acordo com o tempo único da criança é a chave para ajudar a criança a alcançar sua independência. Crianças que conquistam sua independência em seu próprio ritmo são mais seguras dessa independência que as crianças dorçadas a isso prematuramente.
Amamentar crianças maiores é normal
A "American Academy of Pediatrics" recomenda que as crianças sejam amamentadas por ao menos todo o primeiro ano de vida, e por mais tempo se a mãe e o bebê quiserem (AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS Policy Statement, 1997). A Organização Mundial de Saúde reforça a importância de amamentar até os dois anos de vida ou mais (Innocenti Declaration, 1990). A média de idade de desmame, em todo o mundo é de 4.2 anos. (Davidowitz, 1992)
Mães que amamentam por mais tempo também são beneficiadas
a) A amamentação prolongada pode diminuir a fertilidade e suprimir a ovulação em algumas mulheres
b) A amamentação reduz o risco de câncer de ovário (Schneider, 1987)
c) A amamentação reduz o risco de câncer de útero (Brock, 1989)
d) A amamentação reduz o risco de câncer de câncer de endométrio (Petterson, 1986)
e) A amamentação protege contra osteoporose. Durante a amamentação a mulher experimenta uma diminuição na densidade óssea. A densidade óssea de uma mãe que está amamentando pode ser reduzida, em geral em 1 a 2%. No entanto, a mãe tem essa densidade de volta e pode até ter um aumento, quando o bebê é desmamado. Isso Não depende de um suplemento adicional naalimentação da mãe. (Blaauw, 1994)
f) A amamentação reduz o risco de câncer de mama (McTieman, 1986; Layde, 1989; Newcomb, 1994; Freudenheim, 1994).
g) A amamentação tem demonstrado diminuir a necessidade de insulina da mãe diabética (Davies HA, British Med J, 1989).

10 comentários:

New disse...

Oiêee!
Adorei sua visita. Estava com saudades.
Qto ao post sobre acrescentar o nome da mãe pelos menores, vale prá todos sim. Basta requerer em juízo, ok?
Beijocas

New disse...

Oiêee!
Fique à vontade prá perguntar o que quiser. Será o maior prazer no que eu souber, claro.
Prá facilitar me adcione no MSN: dra_ndm@hotmail.com ou
no Skype: newdelia@gmail.com

Beijocas.

Clau disse...

Nossa sem palavras! Um lindo blog, tenho 22 anos e "pretendemos" engravidar esse ano! Foi muito importante as dicas sobre o parto normal, pois apesar de "saber dos beneficios" cada dia vejo mais mulheres optando pela cesária por "medo"...

Ah, sou gaúcha de panambi-RS.... Deixo meu e-mail: clauristow@yahoo.com.br

Um Beijo
Clau

Max disse...

Olá Carla :D!

Que texto interessante...ainda na semana passada estava a falar sobre isto com uma amiga (que teve bébé no ano passado e que está a amamentar o filhote, que tem 8 meses; e afirma continuar até a criança deixar de quere fazê-lo).

Bem, as mulheres da minha família dão de mamar até aos dois anos; mas eu só mamei até aos 6 meses porque recusei, e nunca estive doente. O meu irmão mamou até quase um ano e, Deus sabe, como teve de tudo...por isso não sei se este estudo se aplica a todos os bébés. Mas teorias são assim mesmo: funcionam para uns e não para outros.

Também acho que não há artigos suficientes (na web) que falem das crianças que rejeitam o leite materno desde cedo...é um fenómeno que anda aí, e muitas mulheres sentem-se rejeitadas porque pensam que a culpa possa ser delas (o que não é verdade), provocando verdadeiros traumas...

Sou a favor da amamentação; mas posso é discordar um pouco da duração da mesma.

Excelente artigo, Carla :D!

Beijos minha linda

Geovana disse...

Oi Carla

Eu acho legal amamentar bastante, mas tem que dar a independência cedo, no máximo 01 ano, exceto se for uma criança que precise de cuidados especiais.
Eu conheço uma pessoa que amamentou 05 anos e não vejo benefício nenhum nisso. É apegado demais à mãe, dependente. Bem diferente dos outros irmãos.

Carla Beatriz disse...

New,

Eu também estava com saudades de tuas visitas, é sempre um prazer ver-te por aqui. ;-)

Beijos

Carla Beatriz disse...

Clau,

Fico muito feliz em saber que adoraste meu blog, eu o escrevo com carinho e sempre procuro informações relevantes para as futuras mamães que desejam um parto diferente do que é praticado por aí e que querem fugir das cesáreas mal indicadas. :-)

Beijos

Carla Beatriz disse...

Max,

Meu filho mamou até 1 ano e 9 meses e minha filha mamou até 1 ano e 7 meses. Eles são muito esperto e raramente ficam resfriados, nunca tiveram dor de ouvido, nem têm asma ou bronquite.

Muito provavelmente, você recusou o peito porque sua mãe lhe ofereceu chupeta ou mamadeira, fazendo a famosa "confusão de bicos". O bebê fica confuso com a diferença do bico do seio e da mamadeira ou chupeta e acaba desistindo do que dá mais trabalho: mamar.

Por isso, é importante que a amamentação seja exclusiva, quando possível, até os 6 meses e não seja oferecida chupeta nem mamadeira após esse período, quando for introduzida a alimentação sólida.

Minha filha nunca usou chupeta nem mamadeira! E tampouco fez falta a ela!

Quanto à duração da amamentação, ela deve durar enquanto der prazer a mãe e bebê. Se a mãe já se sente incomodada pelo fato de amamentar, deve começar o desmame, que deve ser gradual. Foi assim com minha filha e ela desmamou em uma semana, sem traumas.

Beijos

Carla Beatriz disse...

Geovana,

A OMS recomenda a amamentação até dois anos de idade ou mais, pelos benefícios que ela traz.

Meus filhos mamaram até 1 ano e 9 meses e 1 ano e 7 meses, respectivamente. Quem deu o limite fui eu, quando eu já não me sentia mais à vontade para amamentar e queria minha liberdade de novo. Foram uns três anos quase ininterruptos amamentando, só com o intervalo da gravidez de minha filha para descansar, mas valeu a pena.

Eu conheço uma moça que foi amamentada até os 4 anos de idade e ela é a mais independente da família, a mais desprendida da mãe, tanto que foi morar em Londres há uns dois anos. Acho que depende de cada caso.

Eu acho um exagero amamentar até os 5 anos, mas se a mãe e a criança estão felizes assim, por que parar? A amamentação só não é boa assim se não é bom para mãe ou para a criança. Mas quem decide o tempo de parar são eles, não nós.

Pior que amamentar até os 5 anos é ver crianças de 5, 6, 7, 8 e até 9 anos de idade tomando mamadeira! Isso sim é inconcebível!

Beijos

Max disse...

Olá Carla :D!

"Meu filho mamou até 1 ano e 9 meses e minha filha mamou até 1 ano e 7 meses. Eles são muito esperto e raramente ficam resfriados, nunca tiveram dor de ouvido, nem têm asma ou bronquite."

Muito interessante...eu também nunca tive nada disso; mas como te disse, o meu irmão teve.

"Muito provavelmente, você recusou o peito porque sua mãe lhe ofereceu chupeta ou mamadeira, fazendo a famosa "confusão de bicos". O bebê fica confuso com a diferença do bico do seio e da mamadeira ou chupeta e acaba desistindo do que dá mais trabalho: mamar."

Não, a minha mãe era contra a chupeta (nem eu nem o meu irmão tivemos chupeta); e mamadeira...só para beber liquidos (água, chá, sumos) em viagem. Eu comecei a comer comida sólida com 3 meses (ao mesmo tempo que mamava), quando cheguei aos 6 quis só comida "verdadeira".

"Por isso, é importante que a amamentação seja exclusiva, quando possível, até os 6 meses e não seja oferecida chupeta nem mamadeira após esse período, quando for introduzida a alimentação sólida."

Concordo.

"Quanto à duração da amamentação, ela deve durar enquanto der prazer a mãe e bebê. Se a mãe já se sente incomodada pelo fato de amamentar, deve começar o desmame, que deve ser gradual. Foi assim com minha filha e ela desmamou em uma semana, sem traumas."

Segundo a minha família Africana, a mãe não deve ter relações sexuais durante a amamentação...como é que se faz aqui no Ocidente? Pergunto isto, porque eu (e as mulheres da minha família) seguimos a tradição Africana (tendo mesmo nascido deste lado).