terça-feira, 10 de junho de 2008

Mais um parto normal entre os famosos!


Nasce o primeiro filho do jogador Kaká


O primeiro filho do jogador Kaká, Luca Celico Leite, nasceu por volta de 1h desta terça-feira no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.
A mulher de Kaká, Caroline Celico, deu à luz de parto normal. Luca nasceu com 51cm e pesando 3,6kg.
O meia do Milan e a mulher foram para o hospital por volta das 18h, depois que a bolsa dela estourou. Ela estava em trabalho de parto desde o início da noite desta segunda-feira.
Kaká acompanhou todo o parto dentro da sala ao lado da mulher. Estavam presentes no hospital seus pais, sogros, irmãos e amigos próximos.
Pouco antes do nascimento, o jogador, eleito o melhor do mundo em 2007, se disse com o "coração emocionado".

Não deveria ser assim, né? Comemorar cada vez que um famoso ou anônimo têm seu bebê de parto normal. Mas infelizmente, na situação obstétrica brasileira atual, essa é a realidade.
Ontem nasceu o bebê do diretor da empresa em que trabalho. Hoje, a que era gerente de nossa área, veio a Porto Alegre e almoçou comigo e meu antigo gerente. Ela contou que a mulher do diretor tentou fazer parto normal, mas não conseguiu e acabou sendo cesárea. Ela até comentou:
- Às duas horas da tarde, a médica e a mulher dele decidiram que era melhor fazer uma cesárea, já que ela tinha dilatação, mas o parto não progredia. Melhor assim do que fazer besteira, né?
Puxa ... esperar o progresso do trabalho de parto agora é besteira?

Meu primeiro trabalho de parto levou mais de 24 horas, teve parada de progressão com 8 cm de dilatação, fui colocada no soro de ocitocina para aumentar a efetividade das contrações e após algumas horas, meu bebê nasceu. Sem sofrimento fetal. Sem mecônio. Sem distócia de ombro. Sem cordão enrolado no pescoço. O apgar dele? 10/10. Teve até um colega meu que se indignou, quando eu contei que meu filho tinha tido um apgar 10/10, depois de um trabalho de parto tão longo. Por que? Só porque o trabalho de parto é longo, quer dizer que o bebê não vai nascer bem? Meu bebê estava bem, eu estava bem e meu obstetra me disse: "Carla, só depende de ti fazer nascer esse bebê." E assim foi.

Isso é o que falta nos obstetras hoje em dia: acreditarem na capacidade que a mulher tem que parir. De terem a paciência necessária para esperar pela progressão do trabalho de parto. Banhos quentes, massagens nas costas, caminhadas, tudo isso ajudam na progressão. Palavras de carinho e incentivo também ajudam, e muito. Medo de fazer besteira? É só porque os médicos hoje em dia não sabem atender a um parto normal, pois foram treinados para fazer cesáreas. Assim, mais e mais mulheres que desejam por um parto normal e tentam, terminam em cesárea. Muitas delas ficam frustradas, por não terem conseguido ter o filho de parto normal. Há casos que até entram em depressão. São as chamadas desne-cesáreas.

9 comentários:

Daniella disse...

Oi Carla,

Concordo em número r grau com tudo que você disse. Você teve sorte de encontrar um médico paciente e que acredita na gente, muitas não tem! Falando nisso, se você puder me passar os dados desse seu médico anjo, eu ficaria eternamente grata. Estou com planos para o ano que vem, e quero que tudo corra da maneira mais NORMAL possível. Bjs

Daninha

Carla Beatriz disse...

Oi Daninha,

Você é de Porto Alegre? Se você for, posso te indicar com o maior prazer meu obstetra-ídolo-guru Ricardo Herbert Jones. Se você não for do RS, posso te indicar o site Parto do Princípio , onde você poderá entrar em contato com algum GAPP - Grupo Apoiado pela Parto do Princípio e eles poderão te dar orientações de como escolher um obstetra humanizado.

Beijos mil

Sonia Regly disse...

Carla,
Gostei muito da sua visita ao meu Blog, obrigada me senti muito feliz.As crianças de hoje comem mal e isso reflete na saúde deles.Beijinhos.

Carla Beatriz disse...

Sonia,

Irei te visitar sempre que puder! Teu blog é muito bom!

Beijos mil

Lola disse...

Oi, Carla,
Vim agradecer sua visita ao "Consciência" e acabei lendo coisas muito interessantes aqui.
Meu filhos nasceram de parto normal, o menino teve o cordão enrolado 3 vezes no pescoço e a menina colocou o braço para fora antes do que devia :), mas, deu tudo certo, todos estão bem e lindos, graças a Deus!(mãe coruja). Acredito que o que está faltando hoje em dia é que as mulheres sejam "MULHERES" mesmo... E que os médicos também sejam bons! Cesária para mim, só em urgência, em casos de risco de vida.
Parabéns! Seu blog é ótimo!
Beijo.

Sonia Regly disse...

oi Carla!!! Coloquei postagens novas lá no Compartilhando as Letras.Apareça por lá, gosto muito da sua visita.

Georgia disse...

Carla, eu nao diria que se tem uma depressao após parto de cesária, por causa da cesária. Já é sabido que há mulheres que após o parto, seja ele qual for pode ter depressao. Eu só tive cesária. Apesar de aqui na Alemanha eles tentarem até a última possibilidade de um parto normal. Meu primeiro filho sentou no osso da passagem e disse:"Daqui nao saio, daqui ninguém me tira", rs. E a segundaa eu tinha 43 anos e ela uma cabeca enorme, e os médicos resolveram me poupar por uma série de complicacoes que eu e nao o bebê poderia ter. Nao tive nenhuma depressao após parto. Eu acredito que depressao após parto acontece porque a nossa vida muda demais. Nao temos tempo para nós, a responsabilidade de ser mae pesa, a gente nao dorme direito e ai, nao há corpo que agüenta.
Mas eu tb concordo que no Brasil há cesariana demais da conta.

Mas essa sua filha é mesmo muito criativa, cai na risada com a história do teu aniversário, kakakakak.

Grande beijo

Carla Beatriz disse...

Georgia,

Eu não disse que toda mulher que sofre uma cesárea vai entrar em depressão, mas há casos que a mulher entra em depressão só pelo fato de ter sofrido uma cesárea.
Eu sofro de depressão crônica, mas não tive depressão pós-parto, graças a Deus, pois tive que suspender os medicamentos nas duas gestações.
Tenho amigas que tiveram os filhos por cesárea e ficaram felizes da vida. Obviamente, não tiveram depressão pós-parto. Cada caso é um caso, mas o fato é que fazer cesáreas DEMAIS não é uma boa coisa, nem para a saúde da mulher, nem para a saúde de nosso país.

Beijos mil

Carla Beatriz disse...

Lola,

Fiquei muito feliz que você tenha gostado de meu blog. Sou defensora ferrenha do parto normal e procuro publicar no blog tudo a respeito dele.
Obrigada pelos elogios a meu blog!

Um grande beijo