sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Crianças nascidas de cesariana podem ser mais propensas à asma

PARIS (AFP) - As crianças nascidas de cesariana podem ser mais propensas adesenvolver asma do que os nascidos de parto normal, segundo um estudo holandês realizado com cerca de 3.000 crianças, que será publicado na edição desta semana da revista especializada Thorax.

O número de crianças que sofrem de asma aumentou consideravelmente nas últimas décadas, principalmente nos países industrializados.

Paralelamente, a proporção de partos por cesárea aumentou na maioria dos países desenvolvidos, passando de 5% nos anos 1970 para mais de 30% em 2000em certas regiões do mundo.

Caroline Roduit e seus colegas do Instituto holandês da Saúde e do Meio ambiente durante 8 anos 2.917 crianças nascidas entre maio de 1996 edezembro de 1997 na Holanda. Deste total, 247 (8,5%) eram nascidas porcesariana. A Holanda tem taxa de natalidade por cesariana fraca em relação aos demais países ocidentais.

No total da população estudada, 12,4% das crianças tiveram asma aos oitoanos de idade.

Os pesquisadores mostraram que as crianças nascidas de cesárea tinham risco maior de ter asmas, com mais probabilidade ainda entre as crianças cujos pais eram alérgicos e que tinham, portanto, uma "predisposição" a esta doença. O risco era multiplicado por dois entre as crianças com um dos pais alérgicos e por três entre as crianças com os dois países alérgicos.

"Nossos resultados destacam a importância das interações entre fatores genéticos e ambientais no desenvolvimento da asma entre as crianças", indicaram os pesquisadores.

"O aumento do percentual de cesárea é parcialmente devido ao pedido das mães, sem razões médicas", destacaram os pesquisadores. "Elas devem ser informadas sobre o risco de asma para suas crianças, particularmente quandoos países têm antecedentes de asma ou alergia", concluíram.

Este estudo é interessante para ser lido por quem acha que a cesariana é mais uma opção de livre escolha na hora de ter um filho. A cesariana é uma cirurgia e como toda cirurgia, envolve riscos, não só para a mãe, como para o bebê. Ela só deveria ser indicada em apenas 15% dos casos.
A Holanda tem um dos maiores índices de parto normal do mundo e também os maiores índices de partos domiciliares. Para um país com mortalidade infantil de 6 por cada mil nascimentos, é um belo exemplo a ser seguido.

Um comentário:

Isabella disse...

Oi Carla,

passei aqui pra lhe desejar um FELIZ NATAL e um LINDO 2009! Vou ficar fora por quase 3 meses mas blogando sempre que possível : )

beijo grande