domingo, 13 de abril de 2008

Idade de Ser Feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.

Autor: Mário Quintana
Foto: Dulce Helfer

10 comentários:

Cristiane Fetter disse...

Menina, esta pensativa ein?

Beijocas

Carla Beatriz disse...

Lindo texto, não é? Recebi ontem de uma amiga e achei legal para publicar no blog. :-)

Beijos mil

Scliar disse...

Ah, é isto mesmo. Tem gente que vive presa ao passado, tem gente que vive presa ao futuro... Bom inicio de semana - que, aliás, já começou! Ethel SC
PS: Concordo com você sobre o peso da responsabilidade quando estamos com os filhos dos outros - impossível relaxar. Mas acidentes acontecem, com nossos ou com os filhos dos outros. O resto, só o tempo dirá.

Anônimo disse...

Nossa amiga, muito a calhar teu texto... Tenho pensado muito nisto, que estamos sempre protelando nossa felicidade, ou melhor, condicionando, quando a felicidade só depende do nosso estado de espírito. MUITO BOM
Beijos =)

Sema

Idéia Legal disse...

Olá Carla,

Deixei um selinho para você em meu blog. Bjos! Renata (Projeto Idéia Legal)

Taís Vinha disse...

Acho que foi o Picasso que, aos 80 anos, quando perguntado "Qual a melhor fase da vida?", respondeu: "A próxima!". Tomara que eu consiga chegar lá com essa vibração interior. Beijos e obrigada pelo lindo texto.

Lívia disse...

Excelente texto, Carla! Eu sempre fui daquelas que pensa muito no futuro... até que aos 18 anos, perdi minha avó, que era a pessoa mais importante da minha vida. Foi aí que dei aquele giro necessário na vida e passei a viver praticamente pensando no presente.

beijos!

Drika Bruzza disse...

Eu gosto tanto do Quintana... pessoas que deveriam ser infinitas, como ele, como a minha mãe, como a minha vó e o meu filho. "Pensava nisso do meu avô também, mas ele foi mais esperto que eu: Se escondeu num lugar bem longe pra eu pensar que ele morreu... :)"

Gostou do meu poeminha? Viu?
Algumas pessoas guardam em si um pouco do tempo e das palavras que foram de quem sabia o que dizer :)

:) Beijo! Saudade de comentar teu blog!

Drika Bruzza disse...

É pensava "isso"

x)

Olá, sou a Evellyn! disse...

Adorei o texto!

Tem um presentinho pra você lá no blog...

http://meumundoenadamaisevellyn.wordpress.com/2008/04/15/alguns-presentinhos/

Beijos!